O Churrasco Perfeito

postado em: Curiosidades, Dicas | 0

Sabendo que o que assa a carne não é o fogo, mas sim o calor por ele transmitido, posicione o carvão em forma de pirâmide a 10 cm da grelha, assim a carne selará e assará lentamente sem queimar.

Para que a fumaça formada com o contato da gordura que derrete o carvão da brasa não deixe a carne defumada, espalhe as cinzas do churrasco anterior sobre o novo carvão. Com estas dicas com certeza você alcançará um resultado maravilhoso em seu churrasco!

Como preparar cada tipo de carne: filé mignon

postado em: Dicas | 0

Todo churrasqueiro ou cozinheiro sabe: cada tipo de carne merece o seu preparo especial. Então, para te ajudar, A Santa Massa preparou uma série de postagens onde falaremos sobre qual o tipo de preparo que cada carne merece. Aproveite estas dicas e faça o seu melhor churrasco!

Peça de hoje: filé mignon

Corte: reconhecido ao redor do mundo por ser o corte mais macio do boi. Com aproximadamente dois quilos, fica na parte traseira do animal, num lugar onde os músculos pouco se movimentam. Daí a maciez de suas fibras, completamente livres de nervos. É também uma das carnes mais magras. Seu sabor é adocicado e delicado, menos acentuado que a alcatra e o seu vizinho contrafilé.

Utilização: o mignon foi eternizado em subcortes que estrelam pratos clássicos da gastronomia mundial. É o caso do chateubriand, um bife alto, com cerca de 400 gramas, extraído do coração da peça. Há também os tournedos e os medalhões menores, com cerca de 250 gramas, extraídos de partes medianas da peça. Das pontas mais achatadas é possível obter os escalopes (bifes pequenos) e os paillards (bifes batidos para ficarem finos), usados em diversos pratos grelhados. Por ser uma carne magra, fica ótima em preparos servidos com molhos ricos e encorpados como o poivre (à base de pimenta), em refogados, picadinhos e até cru, num condimentado steak tartare. O cozimento deve ser rápido para não ressecar a carne, que já é bastante magra.

Curiosidade: Também conhecido como lomo (espanhol), filet (francês) e tenderloin (inglês).

Como preparar cada tipo de carne: fraldinha

postado em: Dicas | 0

Todo churrasqueiro ou cozinheiro sabe: cada tipo de carne merece o seu preparo especial. Então, para te ajudar, A Santa Massa preparou uma série de postagens onde falaremos sobre qual o tipo de preparo que cada carne merece. Aproveite estas dicas e faça o seu melhor churrasco!

Peça de hoje: fraldinha

Corte: o corte é extraído da ponta carnuda da costela minga, próximo à perna traseira do boi, essencialmente parte do abdômen. Tem uma característica camada de gordura externa, mantendo-se magra no interior.

Utilização: as qualidades da carne podem ser apreciadas no churrasco. Mas é essencial que a temperatura e o tempo de cocção sejam corretos para não ressecá-la. Para uma boa Fraldinha na brasa, a carne não deve estar gelada na hora do preparo. O segredo é assá-la inteira e compactada no espeto para evitar o ressecamento. Na hora de servir, cortá-la na transversal do sentido da fibra.

Curiosidade: conhecida na França como bavette, a Fraldinha foi consagrada no Brasil pelo açougueiro especialista Marcos Bassi, em 1967. A pedido de uma senhora francesa, cliente do seu açougue, ele sempre preparava o corte, até então desconhecido dos brasileiros. Com o tempo, Bassi aperfeiçoou a maneira de preparar a Fraldinha servindo-a no balcão assada, fatiada e posta em sanduíche temperada com vinagrete. A ideia agradou e ganhou fama entre os clientes que passaram a pedir a peça. A adesão foi tamanha que a Fraldinha foi promovida a carne nobre de churrasco, uma exclusividade dos brasileiros.