Como preparar cada tipo de carne: filé mignon

postado em: Dicas | 0

Todo churrasqueiro ou cozinheiro sabe: cada tipo de carne merece o seu preparo especial. Então, para te ajudar, A Santa Massa preparou uma série de postagens onde falaremos sobre qual o tipo de preparo que cada carne merece. Aproveite estas dicas e faça o seu melhor churrasco!

Peça de hoje: filé mignon

Corte: reconhecido ao redor do mundo por ser o corte mais macio do boi. Com aproximadamente dois quilos, fica na parte traseira do animal, num lugar onde os músculos pouco se movimentam. Daí a maciez de suas fibras, completamente livres de nervos. É também uma das carnes mais magras. Seu sabor é adocicado e delicado, menos acentuado que a alcatra e o seu vizinho contrafilé.

Utilização: o mignon foi eternizado em subcortes que estrelam pratos clássicos da gastronomia mundial. É o caso do chateubriand, um bife alto, com cerca de 400 gramas, extraído do coração da peça. Há também os tournedos e os medalhões menores, com cerca de 250 gramas, extraídos de partes medianas da peça. Das pontas mais achatadas é possível obter os escalopes (bifes pequenos) e os paillards (bifes batidos para ficarem finos), usados em diversos pratos grelhados. Por ser uma carne magra, fica ótima em preparos servidos com molhos ricos e encorpados como o poivre (à base de pimenta), em refogados, picadinhos e até cru, num condimentado steak tartare. O cozimento deve ser rápido para não ressecar a carne, que já é bastante magra.

Curiosidade: Também conhecido como lomo (espanhol), filet (francês) e tenderloin (inglês).

Para conservar, salgue!

postado em: Dicas | 0

A salga é uma tecnologia de preservação da carne que nossos ancestrais usavam antes da invenção da geladeira. Antes da refrigeração, abater um animal de grandes proporções como um bovino ou suíno representava um grande problema, pois ou ele era abatido para uma festa com muitos convidados (e o animal era consumido inteiro na ocasião) ou tornava-se necessário encontrar um método de conservação. A única maneira de preservação da carne antes do século XX era a salga. Adicionando-se sal suficiente à carne, diminui-se a atividade de água impedindo a proliferação de bactérias e pode-se assim, preservá-la por um tempo mais longo.

Existem duas maneiras de salgar a carne. Pode-se envolver o exterior da carne com sal seco e deixar o sal infundir na carne por várias semanas. Este método leva o nome de cura a seco. Outra opção é fazer uma salmoura (salgada o suficiente para uma batata flutuar) e deixar a carne de molho nela por várias semanas.

Aproveite esta dica para preparar uma carne de qualidade. E claro, sem esquecer do Pão de Alho Santa Massa pra acompanhar!

Como preparar cada tipo de carne: fraldinha

postado em: Dicas | 0

Todo churrasqueiro ou cozinheiro sabe: cada tipo de carne merece o seu preparo especial. Então, para te ajudar, A Santa Massa preparou uma série de postagens onde falaremos sobre qual o tipo de preparo que cada carne merece. Aproveite estas dicas e faça o seu melhor churrasco!

Peça de hoje: fraldinha

Corte: o corte é extraído da ponta carnuda da costela minga, próximo à perna traseira do boi, essencialmente parte do abdômen. Tem uma característica camada de gordura externa, mantendo-se magra no interior.

Utilização: as qualidades da carne podem ser apreciadas no churrasco. Mas é essencial que a temperatura e o tempo de cocção sejam corretos para não ressecá-la. Para uma boa Fraldinha na brasa, a carne não deve estar gelada na hora do preparo. O segredo é assá-la inteira e compactada no espeto para evitar o ressecamento. Na hora de servir, cortá-la na transversal do sentido da fibra.

Curiosidade: conhecida na França como bavette, a Fraldinha foi consagrada no Brasil pelo açougueiro especialista Marcos Bassi, em 1967. A pedido de uma senhora francesa, cliente do seu açougue, ele sempre preparava o corte, até então desconhecido dos brasileiros. Com o tempo, Bassi aperfeiçoou a maneira de preparar a Fraldinha servindo-a no balcão assada, fatiada e posta em sanduíche temperada com vinagrete. A ideia agradou e ganhou fama entre os clientes que passaram a pedir a peça. A adesão foi tamanha que a Fraldinha foi promovida a carne nobre de churrasco, uma exclusividade dos brasileiros.